quarta-feira, agosto 30, 2006

Cinderela Chinesa e Voo da Gol

Não, não é de jeito nenhum o que o título parece sugerir: uma cinderela chinesa esqueceu o sapatinho e pegou um avião da GOL ao invés da carruagem. Que pobreza! Mas é quase isso.
Hoje estreei na GOL. Depois de reclamar bastante da TAM e xingar a Varig, fui e voltei de GOL numa viagem curta. Ainda bem que era curta.
Avisaram na volta que o vôo ia atrasar uns... 40 minutinhos. E assim comprei o livro Cinderela Chinesa de Adeline Yen Mah para ler no aeroporto. Como atrasou bassstante mais, deu pra ler o livro-fininho- quase todo. Adoro essas histórias asiáticas. Já li vários livros assim- como por exemplo- As Boas Mulheres da China- que é bem escrito e um tanto realista com relação a miséria da China, os maus tratos que as mulheres, mesmo pós revolução maoísta, especialmente sofrem. E fiquei até de colocar aqui no blog uma lista de livros que já li e achei interessantes. Vou fazer isso qualquer dia. Mas enfim, quando acabar de ler esse da Cinderela conto de vale a pena ou não. Por enquanto, como leitura de avião valeu.
O que não vale nada é essa tal de GOL. Socorro.É tanta propaganda, mas fique com má impressão. Na ida deram aquele tal biscoito de goiabinha que alguém já tinha comentado aqui no blog, acho que foi a Tekka. Fala sério! Ainda bem que com a minha dieta de atleta atual eu ja estava com uma barrinha de proteinas na bolsa e preparada para qualquer eventualidade, como ter que passar fome no avião. Claro que não dava para provar a goiabinha. Também me deu uma impressao estranha e que pode ser só uma impressão, de que as cadeiras estão mais estreitas. Será? Fiquei muito incomodada com a falta de espaço. E olha que estou emagrecendo e nunca fui gorda para ficar entalada em uma cadeira de avião. Socorro!
Já tinham me falado que os aviões das companhias japonesas fazem poltronas menores para caberem mais pssageiros. Ai fiquei pensando se esses novos boings da GOL ( da campanha- "a gente só nao esta sorrinho sozinho por que a Boing também está") são de alguma encomenda que o Japão fez e depois desistiu e a GOL comprou com descontinho. Sei não. Mas não gostei. Só me resta então experimentar a tal de BRA. Mas do jeito que as coisas estão, é capaz de nessa BRA até baterem nos passageiros nao é?
Da proxima vez então tento ir a pé. Acho que vai ser mais confortável. Brincadeira...

domingo, agosto 27, 2006

Cabelos longos, idéias curtas

Eu ia escrevendo" idéias curtas" como título desse post quando me lembrei de que uma vez fiz uma pergunta em sala de aula e a professora, uma pessoa bastante desafiadora, me disse isso. A classe inteira riu. E eu também. Ainda balancei os cabelos e nem era comigo, por que ela ainda não me conhecia e sou, com certeza, a melhor aluna da faculdade. Com as melhores notas. E falo isso tranquilamente, por que acho que é uma obrigação hoje e sempre, ser muito bom naquilo que se faz. Enfim... Era para ser título do post por que eu ia dizer coisas curtas. Veja como uma idéia leva a outra. Mas vamos as curtas e as vezes, grossas:

- Valdemar Costa Neto ( que é com V e não com W com eu havia escrito. Mas quem se importa com a grafia do nome desse infeliz?) foi barrado no baile. Seu pedido de candidatura foi indeferido( revista Veja de ontem). Deram uma outra desculpa, faltavam uns documentos. Mas o fato é que o esperto ex-presidente do PL, vai ter que esperar as eleições seguintes para continuar suas ações em benefício próprio. Parece alguma evolução? Talvez. Estou bastante descrente com relação a isso. Lula vai ganhar no primeiro turno não é? Então?

-Coisas belas: estou apaixonada pelo design brasileiro. Nunca liguei muito, não prestava atenção , principalmente quando o assunto era decoração de casa. Sempre tive móveis simples, muitos daqueles " semedão". Mas agora comecei a querer adquirir umas coisas lindas. Como as poltronas de Sérgio Rodrigues e de Ricardo Fasanello. Este último, já falecido eu acho, nem tem site. No entanto, sua cadeira Esfera, é vendida em Los Angeles por pelo menos 18 mil dólares. No Brasil é bem mais barato, claro. Nunca se dá o devido valor aos nossos bons. E de qualquer maneira eu jamais poderia sonhar com um móvel desses se não tivesse preço acessível. Quem tiver algum móvel que ame e adore, me conte aqui por favor. Estou começando a engatinhar no assunto e gostaria de saber mais.
Boa semana para todos.

segunda-feira, agosto 21, 2006

22 de Agosto-De olhos bem abertos e de ouvidos em pé

Já contei aqui que agora faço ginástica com personal quase todos os dias. Ótimo para mim, estou ficando com o corpo tonificado, alegre e forte. Pois bem, outro dia eu estava numa dessas aulas particulares de ginástica, onde toca initerruptamente , no rádio, um canal de FM qualquer, quando escuto estarrecida um ruído que, mesmo distraída que estava com pesos e contagens de séries, não deixar passar de jeito nenhum. Era o Waldemar Costa Neto, ex-presidente do PL. -aquele que renunciou para não ser cassado ao ser pego com a boca na botija no escândalo do mensalão, depois de mentir em cadeia nacional que não só ele, como o resto dos integrantes de seu partido nada tinham a ver com o escândalo que se avolumava, como também que tratava-se de uma pouca vergonha. Ah pouca vergonha era sim. E dias depois a pouca vergonha se tornou muita vergonha: a mulher desse sem-vergonha o denunciou e disse que ele recebia malas e malas de dinheiro para seu partido e ele mesmo, se conchavarem com o PT..
Pois então, aquele pilantra que renunciou para não ser cassado, está novamente em campanha, pedindo votos com voz embargada, dizendo que errou mas agora quer acertar e agradece a todos aqueles que nos momentos difíceis estiveram ao lado dele. Aí eu me pergunto: que momentos difíceis? O sujeito renuncia e fica impune. Fica inclusive com todo o dinheiro de sua corrupção, por que não é preciso devolver. E poucos meses depois, tem a cara-de- pau, mas principalmente o lamentável DIREITO, garantido por LEI, de se candidatar novamente a qualquer cargo público que seja. Nem sei ao que esse nojento estava se candidatando. Não me interessa. O que me interessa é o nível de impunidade, de imoralidade escancarada e sem fim, que se tornou há muitas décadas, a política brasileira. E assim, os Waldemares, os Lulas, os Sarneys, e muitos mais, vão mantendo a tradição desse país triste, pobre e aflito chamado Brasil. Uma tradição de insegurança, de incertezas, de safadezas. E o que podemos fazer? Dizer não a tudo isso em todos os momentos de nossas vidas. Não ao recebermos o troco errado que falta uma moedinha que ?não vale nada?, não aos nosso olhos fechados para as crianças de rua que não são ?menores? que nós, não a nossa incapacidade e sensação de impotência. Podemos fazer muito.É só pensar no que fazer e fazer. Se cada um de nós arregaçar as mangas no dia-a-dia que vivemos para fazer o mínimo que seja em prol da dignidade humana no nosso país, em prol de nossa própria dignidade, alguma coisa vai mudar para melhor. No mínimo movimento de cada um, existe um teor de conjunto, que somado dá uma força grande, revolucionária. A bloggagem coletiva tem pelo menos o poder de mostrar a nós mesmos, que o mundo é um grande coletivo. Vamos em frente com cada brasileiro desesperado e cheio de medo que encontrarmos ao nosso lado. E fazer um grande cordão pela paz, pela prosperidade geral, pela nossa consciência.
Beijos,
Jasmine

domingo, agosto 20, 2006

Postagem coletiva dia 22- Participe.

Camille do Camélia de Pedra deixou aqui um recado que reproduzo, pois essa é a idéia da bloggagem coletiva contra a violência e a corrupção que estão cada vez mais alastradas no Brasil. Veja o recado dela que está bem dado:

"Laura, do Laura Vive convoca a todos os bloggeiros a fazer uma bloggagem coletiva- dia 22, terça-feira- contra a violencia, o descaso, a corrupção que assola o Brasil. Você pode participar escrevendo um texto, colocando uma foto, fazendo um desenho, colando uma reportagem, enfim, o que você achar mais interessante para o tema. O importante é poder utilizar este instrumento que você criou - seu blog- para romper o silêncio e manifestar aquilo que , como brasileiros sentimos com relação a deterioração de nosso país. Se você quer participar, deixe seu nome no blog da Laura, ela fará um link de todos os blogs que estiverem partipando. É isso aí. Boa semana."

quarta-feira, agosto 16, 2006

O Caçador de Pipas, com você e eu.

Tentei começar a ler umas três vezes e parei. Parecia cansativo. Minha inteira resistencia a ler best-sellers. Está em primeiro lugar na lista dos mais vendidos da Veja. Uma amiga querida, mas que tem o gosto pela vida diferente do meu, me recomendou. E também por isso pensei: ah, de repente é um livro bom para ela e não para mim. Mas no domingo de manhã resolvi descobrir porque tantas pessoas estavam adorando esse livro: "O Caçador de Pipas", primeiro romance de Khaled Hosseini, autor que nasceu no Afeganistão e mora em São Francisco desde 1980 e é formado em Medicina.
O livro conta a história de dois homens, um rico e poderoso e seu empregado, que tiveram a sorte parecida com relação aos filhos: um perdeu a mulher no parto, deixando-o sozinho para criar o menino. O outro também perdeu a mulher após o nascimento do seu menino. Ela fugiu. Essas duas crianças são criadas juntas, como dois irmãos. Brincam juntas, comemoram coisas juntas. Mas uma vai a escola, a outra não. Uma serve e a outra é servida. São de religiões e biotipos diferentes. Que no Afeganistão determinam a um simples olhar, a que grupo pertencem.
Se eu contar a história toda, talvez você leia este post e desista do livro. Então só descrevi uma pequena sinopse. Os segredos vão sendo revelados aos poucos. O livro é cheio de surpresas. E tende a ser um grande dramalhão. Com uma narrativa moderna, que flui. Mas ao mesmo tempo, um fundo moral, uma maneira de sentir bem do jeito afegão, permeia tudo. E o que prende tanta gente? Será o drama que bem poderia ser uma novela? Acho que não. Tem bem mais poesia que uma novela. Tem mais sutileza. E principalmente, trata com uma enorme lupa, a natureza dos vínculos humanos. Por que sou ligado a alguém? O que é parentesco? O que é amizade, amor, entrega, ciúme, pedido de atenção. Lida o tempo todo com os buracos que conhecemos tão bem. Com aquilo que nos falta e que pensamos que poderemos preencher com o afeto de alguém. Lida com a solidão de ser. Com o sentimento de identidade, de forma bem tocante. Estou me dando conta que o o livro é bastante complexo, cheio de vida. Com sentimentos universais, Apesar de mostrar o drama tão regional que é a história do Afeganistão. Repleta de invasões e destruição. Como a invasão russa que obrigou tanta gente a deixar o país em condições precaríssimas. E todo o poderio nefasto do Talibã. Matando, mandando e desmandando. Cheio de ódio e fanatismo e nenhum misticismo envolvido aí. Quem ler vai gostar. Tanto que está em primeiro lugar na lista. Por falar em lista, qualquer hora vou falar de todos os livros que li nos ultimos tempos. E quem quiser deixar aqui as suas sugestões, poderemos criar uma lista muito especial. É isso. O Caçador de Pipas valeu a pena, não só para a torcida do Flamengo, do Corintias e sei la mais qual, como para mim também.

segunda-feira, agosto 14, 2006

Aula de ética na faculdade

Hoje assisti uma aula de ética na faculdade de Psicologia. A professora falou de moral, ética e da estrutura do ato moral. Eu estava gostando: falamos sobre o PCC e sua moral particular, mas sem ética, falamos sobre a ética do governo que não tem moral. Governos que conhecemos cujos programas do partido lider nada tem a ver com a pratica do governo como gostam de frisar seus governantes e tudo se faz em nome da "luta", inclusive roubar, atos ilicitos diversos, corrupção mesmo e tal. Mas é pela "causa", pelos "companheiros", enfim a tal da ética própria que temos visto por aqui. Falamos sobre o uso da burka em determinados países árabes e a professora disse que algumas mulheres gostam de usar por que tem um sentimento de pertencer com isso, da mesma forma que outras aceitam a mutiliação do clitoris. Ja comecei a torcer o nariz. A pouca literatura que li a respeito, mostrava as mulheres lutando por seus direitos de igualdade com os homens, e com relação ao clitóris, essa castração do prazer - quando arracando em condições de higiene inclusive precarissimas que podem causar tétano e coisas ainda piores, se tem coisa pior do que ser mutilado. E aí finalmente a mestra leu um material de propaganda de umacooperativa de psicologos e mostrou que é proibido, anti-etico e tal. Concordo em parte. Por que dá dois pesos e duas medidas. Enquanto psicologo pobrezinho, que esta começando não pode fazer um folder falando do seu trabalho, um super bambambam pode ir para uma revista, dar uma entrevista dizendo aquilo que o povo quer ouvir, sair na televisão, dar palestra e jogar a rede, que um monte de analisando cairão provavelmente e pagarão uma fortuna felizes, nessa sociedade "midiática" que vivemos. Esse procedimento, de se mostrar, como cada vez mais vemos profissionais marketeando, não é considerado anti-etico. Como a minha praianha sempre foi para os lados marketeiros, não vejo nenhuma sutil diferença entre uma coisa e outra. Mas enfim, vamos vivendo e aprendendo o que a universidade quer contar como verdade. Esse assunto tem continuação, pelo menos pra mim, que voltarei a questionar sobre tudo isso. Investigar. Só assim é que se entende conceitos, questionando mesmo. Se alguem entendeu minha duvida e quer dar uma alo sobre isso, é só deixar um recadinho para mim. Ficarei feliz.

quinta-feira, agosto 10, 2006

Arrumar a trouxa e mudar de cidade, de país.

Estou pensando em me mudar. Construir a Aloha em outro lugar. Ainda não sei exatamente para onde. Vou construir isso melhor na minha cabeça e um dia eu conto aqui, quando a decisão estiver de fato tomada. Sempre fui um pouco nômade. E agora, além da vida estar me dando a possibilidade de uma liberdade maior de ir e vir, não vejo muito sentido em continuar onde estou. Quero conhecer mais, me deslocar mais. Colocar o meu ninho numa árvora talvez mais alta, com menos perigos, talvez mais frondosa e com mais passarinhos. Vamos ver. E arregassar as mangas.
Você já pensou nisso? Que a gente nasce num canto e pode ir para muitos outros. Bloggueiros a maioria que eu conheço está fora do Brasil. Usam o blog para se comunicar com amigos e família. São meus colegas de vida nômade. Quem quiser me deixar um recado sobre este assunto eu agradeço.

segunda-feira, agosto 07, 2006

Notícias do Personal: as receitas prometidas para o dia 30 chegaram hoje. Mesmo assim está tudo bem.

Então, vou contar um pouco mais sobre minha nova dieta e hábitos: mesmo que o personal tenha me enviado as receitas com um certo atrazo, estou seguindo o básico do seu aconselhamento tanto de dieta quando de exercícios. Estou com um personal daqui de Aloha, 4 vezes por semana, que segue as orientações das séries passadas pelo personal das "estrelas". E a dieta segue um princípio simples, acho que é tb o básico de qualquer dieta de atleta: zero de gordura, zero de açúcar. E um tanto a mais de proteina do que eu estava acostumada. E o que é melhor: muita comida. Ele dividiu o meu dia- por que acordo cedo- em dez refeições, incluindo o almoço e o jantar. Assim ninguém sente fome. Não precisa dos "plentys" da vida para perder o apetite. Você não perde o apetite- come mesmo. O personal das estrelas diz que devemos "secar" as gorduras e alimentar os músculos. De produtos diferentes tem um shake de soja ( que eu misturo com morango, adoçante natural e leite de soja para ficar bebível) e uma barra de proteína que na primeira mordida parece terrrivel, mas depois de uma semana de dieta, parece um bombom dos deuses. É uma questão de prisma. O resultado- comecei a dieta no sábado anterior a esse- é que estou desinchando e já dá para entrar em calças que não fechavam mais. Quem é gordinho de fato, sente a diferença mais visivelmente, por que tem muita gordura a perder. Quem esta só um pouco acima do peso, a coisa é mais sutil, mas você consegue ficar satisfeita com os resultados. Espero que em 40 dias eu esteja feliz como minha prima está- dos seus 100 quilos adquiridos( mas ela é mais alta que eu ) já perdeu sei lá quantos- por que a massa muscular também pesa. E já está usando calça 42). Como eu nem uso calça 42, com quilos a mais estou usando 40, não espero passar para 36. Mas voltar para o 38 , só que com um corpo mais deficido, saudável, e principalmente cheio de energia. Preparada para qualquer esporte. Como uma atleta pronta para recomeçar. Não um esporte. Mas um novo jeito de viver. Mais intenso em alegria, vibração e força positiva. Parece bom? É ótimo. Estou feliz com essa decisão. Deram muitas risadas com a minha "importação " do personal de minha prima do Rio de Janeiro. Aqui em Aloha, tem excelentes profissionais. Fui motivo de piada. Mas quer saber? Está valendo. E isso é o mais importante para mim.

quinta-feira, agosto 03, 2006

Blogs. Nós temos a força. É o que dizem.

Não é de hoje que leio sobre isso nos mais diversos veículos de mídia: blogs são uma força incontrolável e começam a ser temidos pelas empresas justamente por causa disso. Quem está acostumado a controlar todas as suas notícias se apavora com a liberdade dos blogs. Onde o diretor e presidente são nada menos que vocês, nós, bloggeiros de primeira viagem ou de longa data. Ou seja, o grande sonho da Internet era criar comunidade e gerar valor. Com a existencia dessa comunidade, com o dominio de seu perfil de consumo hábitos, pensamentos, etc, poderia-se ganhar muito dinheiro com isso. Vender informações relevantes para produtos, políticos, eventos e o que mais existisse no mercado. O que não se previu foi a enorme autonomia conquistada pelos blogs e sua interatividade com bloggeiros entre si. Essa força se comprova com movimentos como esse criado por Denise Arcoverde, com o post sobre amamentação e a participação de bloggeiras dos quatro cantos do planeta. Isso é só uma pequena demonstração. O que mais pode ser feito, o tempo dirá. De toda maneira, essa possibilidade de ter um espaço público onde cada umpode ter voz, para expor o que pensa do mundo, opinar sobre o que quer que seja é muito bom. A revista Época fez uma grande reportagem sobre isso e indica alguns blogs como sendo imperdíveis para quem gosta de estar antenado: http://www.boingboing.net/ onde todas as novidades do mundo interneteiro ( que exagero) aparecem primeiro aqui,
http://www.gawker.com/, são fofocas de celebridades( para quem gosta, um prato cheio)http://break.com/, diz que tem as imagens mais engraçadas utilziadas por todo mundo que bloga. Vou conferir. No minimo deve ser divertido.

terça-feira, agosto 01, 2006

Acharam menino em Ribeirão Preto

Li agora a noite que acharam um menininho recém-nascido numa praça de Ribeirão Preto. A mãe abandonou com uma chupeta e um pacote de fraldas. Dá a impressão que teve o mínimo de cuidado. Olha aqui as fraldinhas do meu filho para você trocar. Dá para julgar uma coisa dessas? Não dá não. Não sabemos em que condições mentais mulheres cometem esses atos. Dá para pensar no bebê. Que vontade de pegá-lo e acolhe-lo. Por que não?

Amamentação- Minha experiência.

Logo hoje estou sem tempo para escrever. E me comprometi a falar aqui sobre amamentação. Não que eu seja uma especialista no assunto. Mas por ser mulher, já é suficiente. E por ser mãe também.
Ao amamentar meu primeiro bebê não tinha experiência alguma no assunto. Só sabia que era muito importante amamentar, que assim estaria passando anti-corpos meus, defesa para o organismo dele. E que eu devia fazer isso.
Comecei a amamentar e com os conselhos médicos passava pomadinha no bico do seio e tal. Mas meu bebê era faminto e queria mamar todo o tempo. O pediatra da época disse para que eu regulasse horários. Fiz isso, parei de amamentar a toda hora e comecei com a rotina de 3 em 3 horas. Conclusão: um dia saí para dar uma voltinha de carro com minha sogra. Ela parou numa farmácia para comprar não sei o que e meu bebê desfaleceu no meu colo. Ainda lembro-inesquecível, claro- de eu saltando do carro com ele nas mãos como se fosse um boneco, gritando apavorada: meu bebê morreu!!!!!! Ele estava desmaiado de fome! Não tinha mais condições de berrar para uma mamada. Troquei de pediatra e passei a amamentar na hora que meu filho precisava.
Depois meu leite foi acabando e achei que era hora de parar e ficar só na mamadeira. Como minha sogra já tinha tido um monte de netinhos, tinha experiência no assunto. Comprou comprimidos de alfafa de homeopatia para mim, me explicou que alfafa é uma planta que se dá para éguas quando estão amamentando, para aumentar o leite. E a partir daí , por razões psicológicas, biológicas ou as duas, meu leite jorrava na parede e eu consegui amamentar por uns 6 meses. O que para mim foi muito importante, uma conquista e uma vitória. Não fui amamentada pela minha mãe que não tinha leite. Talvez ela tenha ouvido conselhos errados de alguém e por isso seu leite não surgiu. Existem montes de pessoas que hoje carregam essa bandeira do aleitamento materno e sabem do que estão falando . Como a Denise Arcoverde que sugeriu a todas as bloggeiras e bloggeiros que escrevessem sobre o assunto. É o que tenho a dizer.
Beijos para todas as mamães. As que conseguem amamentar e as que não. Tudo na vida é uma questão de aprendizagem.

Recadinho de rodapé